Ponte da Arrábida constitui uma obra-prima da Engenharia de Pontes. Aquando da sua conclusão, em 1963, constituía a ponte em arco de betão armado com maior vão em todo o mundo. O seu processo construtivo constituiu uma operação de extraordinário rigor e engenho, nunca antes realizada.

Ponte da Arrábida é a primeira grande ponte sobre o rio Douro integralmente concebida, projectada e construída pela Engenharia Portuguesa. O seu autor, Engenheiro Edgar Cardoso, notabilizou-se como projectista de pontes, combinando sabiamente nas suas obras, espalhadas por quatro continentes, engenho, inovação, sensibilidade e apuro estético. No acervo de obras que deixou a Ponte da Arrábida é, para muitos especialistas, a sua maior obra-prima.

Ao longo das últimas décadas a Ponte da Arrábida tornou-se um dos mais poderosos símbolos da Cidade, provavelmente aquele que no futuro melhor simbolizará o Porto do século XX. A identificação da Ponte com a Cidade e os Cidadãos do Porto foi muito forte desde a sua conclusão mas – como acontece com aquelas construções de excepcional apuro estético – reforça-se uma e outra vez sempre que cada um nela, e no seu sítio, descobre novas perspetivas.

No dia 22 de Junho de 2013 completam-se 50 anos sobre a data da inauguração da Ponte da Arrábida. Por feliz coincidência, 2013 corresponde também ao centenário do nascimento no Porto do Engenheiro Edgar Cardoso.

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) entendeu que deveria contribuir para que a data fosse devidamente comemorada, tomando duas iniciativas.

A primeira consistiu na preparação de um dossier com o objetivo de desencadear o processo de classificação da Ponte da Arrábida como Monumento Nacional. Esse dossier foi submetido em Agosto de 2010. O processo de classificação já foi aprovado.

Em complemento, a FEUP está a organizar na Alfândega do Porto, no dia 21 de Junho de 2013, véspera do aniversário da Ponte, o ARRÁBIDA50Colóquio Internacional sobre Pontes e Património.