Versão Portuguesa (English version below)

À CONVERSA COM… José Santos ( Embaixador Alumni FEUP na Bélgica)

Nasceu em Vila Nova de Gaia, mas atualmente vive em Gent. José Santos terminou o curso de Engenharia Electrotécnica e de Computadores em 2015 e é o nosso Embaixador Alumni FEUP na Bélgica onde é Doctoral Researcher (PhD) no IDLab na Ghent University.
É um amante da ciência e da tecnologia, mas encontrou no Padel a sua nova paixão.

Como surgiu a oportunidade de ir para fora?
Depois de terminar o curso, comecei a trabalhar em Portugal na empresa Grupo Proef – Eurico Ferreira. Estive envolvido em projetos de investigação Portugueses e Europeus (H2020) na área das Telecomunicações. Gostei muito de trabalhar em investigação nesta área, o que me levou a começar a procurar oportunidades no estrangeiro. Um dia surgiu-me a oportunidade de iniciar o meu doutoramento na Universidade de Gent, na Bélgica. Na minha opinião, a investigação em Portugal ainda não está ao nível dos restantes países europeus e, por isso, decidi aceitar a oportunidade tendo em conta que seria uma experiência enriquecedora não só a nível profissional como pessoal.

Como está a ser esta experiência no estrangeiro?
Uma experiência muito positiva! Estou há cerca de 2 anos em Gent. Tenho aprendido imenso nestes primeiros anos fora. Durante o meu doutoramento consigo não só adquirir novos conhecimentos na parte técnica de que mais gosto, a área das Telecomunicações, mas também evoluir as minhas soft skills. Por exemplo, já realizei diversas apresentações em conferências internacionais o que me permite evoluir as minhas capacidades como orador.

Passou por outras paragens depois de ter deixado a FEUP?
Não, depois de terminar o meu percurso académico na FEUP apenas trabalhei em Portugal e agora na Bélgica.

Como correu a integração na Bélgica? Quais foram os principais desafios?
A integração não foi difícil, dado que tinha pessoas conhecidas que me apresentaram a cidade e que me ajudaram imenso durante os primeiros meses. No entanto, a língua Holandesa é um desafio constante. A Bélgica tem 3 línguas oficiais (Holandês, Alemão e Francês) e na região de Gent, o holandês é a língua oficial. Contudo, em Gent o inglês apesar de não ser língua oficial, é uma das línguas mais utilizadas, pois Gent é uma cidade estudantil e com vários emigrantes de variadas nacionalidades. Aliás, existe uma rivalidade entre a zona flamenga e a zona francesa na Bélgica o que faz com que na zona onde vivo as pessoas consigam ajudar mais facilmente alguém a falar em Inglês do que em Francês, pois dominam muito mais a língua Inglesa.
Na minha opinião, o único aspeto negativo do país é o tempo. Nos meses de Dezembro e Janeiro temos poucas horas de luz e faz bastante frio, chegando a nevar alguns dias. Nos meses de Verão, o calor que se sente não é como em Portugal. Em Agosto chegamos a ter temperaturas que não ultrapassam os 15 graus, bastante baixo comparado com o nosso país. E outro aspeto negativo é a chuva. A maior parte dos dias cá acaba por chover nem que seja por 30 min. No entanto, neste ultimo ano isso foi notando-se cada vez menos. Talvez o aquecimento global esteja a mudar um pouco o clima na Bélgica, dado que o Verão o ano passado também foi bastante bom para o que costuma ser. Por outro lado, vou cerca de 3 a 4 vezes por ano a Portugal o que nos faz sempre sentir perto da familia e amigos, pois a viagem entre Gent – Porto acaba por ser praticamente uma viagem Porto – Lisboa.

Por onde passam agora os seus objetivos/planos futuros?
Boa pergunta! Nem eu mesmo nesta fase sei responder. Deverei acabar o meu doutoramento nos próximos 2 anos. Entre continuar na vida académica ou voltar a trabalhar na industria, estou indeciso. Contudo, sei que gostaria de trabalhar na área das Telecomunicações. Neste momento, faço investigação na área de Cloud Computing e Internet of Things, uma das áreas em que mais gosto de trabalhar.
Por outro lado, estou atualmente a viver em Gent com a minha namorada, a Embaixadora ALUMNI UP Catarina Cruz que também trabalha cá. Tanto eu como a ela, não pensamos em voltar a Portugal no curto prazo. No estrangeiro, possuímos muito mais oportunidades de trabalho que neste momento em Portugal não temos.

Dos tempos na FEUP, o que é que recorda com mais saudade
O que recordo com mais saudade dos tempos de faculdade é o ambiente entre todos e a respetiva cumplicidade. Participei em alguns projetos extracurriculares com outros alunos e alguns professores o que me fez não só aprender a nível técnico mas também a nível pessoal.

E se voltasse ao passado, aos tempos de estudante, faria alguma coisa de diferente?
Não me arrependo de nada dos meus tempos de estudante. No entanto, se fosse hoje teria-me inscrito no programa Erasmus. Após ter vindo para fora, percebi o quanto é enriquecedor uma experiência fora do nosso país, fora da nossa zona de conforto. Vir para fora abre-nos os olhos para outras realidades. Só recentemente tive a oportunidade de a iniciar.

Ser Embaixador Alumni significa no fundo retribuir algo à Faculdade em particular e à Universidade em geral. Como é que vê esta reaproximação à sua alma mater?
Ser Embaixador ALUMNI é ter a oportunidade de continuar em contacto com a Faculdade/Universidade que nos formou. Estar envolvido na rede de embaixadores tem sido uma excelente experiência para mim. Tenho tido o privilégio de conhecer pessoas fantásticas espalhadas pelo mundo que tentam juntar os diversos ALUMNI espalhados pelo seu país. Por vezes, recebo mensagens de estudantes da FEUP a perguntarem-me como é viver em Gent, pois muitos deles estão interessados em fazer Erasmus. Ser embaixador ALUMNI é também poder aconselhar outros alunos o que os espera caso decidam vir para cá.

Que desafio gostaria de colocar à FEUP e/ou à U. Porto?
O desafio que gostaria de colocar à FEUP é que promova a realização de sessões de esclarecimento/workshops acerca dos países em que os diversos embaixadores ALUMNI FEUP se encontram. Estas sessões já foram realizadas no passado mas pelo que sei foram descontinuadas por falta de oportunidade/tempo. Tal como mencionei anteriormente, por vezes recebo mensagens de estudantes da FEUP a perguntarem-me como é viver em Gent e acho que estas sessões seriam uma forma de não só promover as cidades em que cada embaixador vive mas também de responder a perguntas que os estudantes possam ter, dado estarem interessados em fazer ERASMUS ou iniciar uma carreira internacional.

Alumni, profissional, embaixador… que mais devemos saber sobre si? Partilhe connosco uma curiosidade para ficarmos a conhecê-lo melhor.
Ciência e tecnologia são duas das minhas paixões, no entanto tenho uma terceira: desporto. O meu hobby favorito é desporto. Sempre que posso faço desporto. Para descontrair é o meu escape de eleição. No passado, joguei futebol, badminton, ténis, etc. Neste momento, aderi à nova moda desportiva atual, o Padel. Eu vejo o Padel como uma mistura entre ténis e squash. No entanto, apesar de ser um desporto muito parecido com ténis, na minha opinião, é um jogo que requer muito mais conhecimento tático, o que lhe dá um fator extra. Penso que seja por este fator, que nos últimos 2/3 anos o Padel teve um “boom” tremendo. Eu adoro sair do trabalho e saber que nesse dia ainda tenho um compromisso de cerca de 2h de jogo.

English Version

Talking to… José Santos (FEUP Alumni Ambassador in Belgium)

He was born in Vila Nova de Gaia, but lives nowadays in Gent. José Santos graduated in Electrical and Computer Engineering in 2015 and is our FEUP Alumni Ambassador  in Belgium where he is Doctoral Researcher (PhD) at IDLab at Ghent University.
He is a cience and technology lover, but he found in Padel his newest passion.

Can you tell us about your experience abroad and how did it happen?
After finishing my studies, I started working in Portugal at Grupo Proef – Eurico Ferreira. I was involved in Portuguese and European research projects (H2020) in the ​​Telecommunications field. I enjoyed working on this research field, which has led me to start looking for opportunities abroad. One day I had the chance to start my PhD at the University of Gent, Belgium. In my opinion, research in Portugal is not yet up to the level of other European countries, so I decided to accept the challenge, given that it would be an enriching experience both professionally and personally.

How is the experience abroad?
It has been a very positive experience! I live in Gent for roughly two years now. I have learned a lot in these early years abroad. During my PhD I am able to not only acquire technical knowledge in the field I like the most, which is Telecommunications, but also develop my soft skills. For example, I have done several presentations at international conferences which allow me to develop my public speaking skills.

Did you go to other places after leaving FEUP?
No, after finishing my degree at FEUP, I have only worked in Portugal and now in Belgium.

How was the integration in Belgium? What were the main challenges?
Feeling integrated was not difficult, as I had people here who introduced me to life in this city and who helped me a lot during the first months. However, the Dutch language is a constant challenge. Belgium has three official languages (Dutch, German and French) and in the Gent region, Dutch is the official language. However, English, although it is not an official language, is one of the most widely used, as Gent is a student city welcoming migrants of various nationalities. Actually, there is a rivalry between the Flemish zone and the French zone in Belgium, which means that where I live people can more readily help someone who speaks in English than in French, as they speak English more fluently.
In my opinion, the only negative aspect of the country is the weather. In December and January, we have only a few hours of light, it is freezing and it can even snow for a few days. In the summer months, it normally does not feel as warm as in Portugal. In August we have had temperatures that do not exceed 15 degrees, quite low compared to our country. And another negative aspect is the rain. It rains on most days here, even if it’s just for 30 min. However, in the past year, this has been changing. Perhaps global warming is changing the weather in Belgium a little, as the last summer was also pretty good for what it usually is. On the other hand, I travel to Portugal for about three to four times a year. That makes us feel close to family and friends because the distance between Gent – Porto turns out to be practically a Porto – Lisbon travel.

What are your future plans?
That’s a good question! At this stage I can’t answer that myself. I should finish my PhD in the next two years. Between pursuing an academic path or returning to work in Industry, I am undecided. However, I know that I would like to work in the field of telecommunications. At the moment, I am conducting research in the field of Cloud Computing and Internet of Things, one of my favourite areas of work.
On the other hand, I am currently living in Gent with my girlfriend – also an ALUMNI UP  Ambassador, Catarina Cruz – who also works here. We both don’t plan on returning to Portugal in the short term. Abroad, we have many more job opportunities than at this time in Portugal.

About the times in FEUP, what do you remember with more nostalgia?
What I miss most from my studying days is the atmosphere among everyone involved and respective cooperation. I participated in some extracurricular projects with other students and some professors which allowed me to grow not only technically but also personally.

And if you go back to the past, when you were a student, would you do something different? 
I regret nothing of my student days. However, if it was today, I would have signed up for the Erasmus program. After coming to live abroad, I realized how enriching the experience outside our country, outside our comfort zone could be. Going abroad opens our eyes to other realities. Only recently I had the opportunity to witness that.

Being an Alumni Ambassador means to give something back to the Faculty in particular and the University in general. How do you see this closer connection to your “alma mater”?
To be an ALUMNI Ambassador means having the opportunity to keep in touch with the Faculty / University where we’ve graduated. Being involved in the network of ambassadors has been an excellent experience for me. I have had the privilege of meeting fantastic people from all over the world who try to bring together the various ALUMNI scattered around their countries. Sometimes I get messages from FEUP students asking me what it is like to live in Gent, as many of them are interested in coming here as Erasmus students. Being an ALUMNI ambassador is also being able to advise other students what awaits them if they decide to come here.

What challenge would you like to propose to FEUP and / or to U.Porto?
The challenge I would like to pose to FEUP is to promote debriefing sessions / workshops on the countries in which the various ALUMNI FEUP ambassadors meet. These sessions have been held in the past but as far as I know, they have been discontinued for lack of opportunity / time. As I mentioned earlier, I sometimes get messages from FEUP students asking me what it is like to live in Gent and I think these sessions would be a way of not only promoting the cities in which each ambassador lives but also of answering questions that students may have, as they are interested in making ERASMUS or starting an international career.

Alumni, professional, ambassador … what else should we know about you? Share with us a curiosity so we can know you better.
Science and technology are two of my passions, but I have a third: sport. My favorite hobby is sport. I do it whenever I can. It’s the best thing to do when I want to relax. In the past, I played football, badminton, tennis, etc. At this moment, I joined the new trend sport, Padel. I see Padel as a mix of tennis and squash. However, despite being a very similar sport to tennis, in my opinion, it is a game that requires much more tactical knowledge, which gives it an extra advantage. I think it is for this reason that in the last two or three years Padel has had a tremendous growth across Europe. I love to go out of work and know that on that day I still have a commitment of about two hours of playtime.

The advice to FEUP students (On Vídeo)
Hi, I’m José Santos, FEUP Alumni Ambassador in Belgium and my advice to FEUP students is to not hesitate and embrace new opportunities outside your comfort zone. It’s very important to enrich yourself both personally and professionally, and you can achieve that signing up for an Erasmus exchange program, for example. I think it’s very important to define a specific path on your studies plan so that you can choose specializations and subjects that you enjoy to ease the transition from academic to working life. Also, if you have the ambition to pursue an international career, focus on the English language. On the other hand, being in Belgium, I am always available to answer questions about this country if you want to come here as an Erasmus student in Belgium, in Gent or another city. I want to finish by wishing you success for your academic career, and we hope to see you in Gent. Thank you — cheers!