Numismática

Formas

Afirmei atrás que as moedas são geralmente rodelas metálicas cunhadas. Todavia, mesmo nos nossos tempos, não se pode falar das moedas como sendo invariavelmente de forma circular.

É claro que no passado recente, a cunhagem de moedas não circulares prendeu-se frequentemente com dificuldades técnicas locais.

É o caso, certamente, desta moeda espanhola local (Navarra), de 1/2 maravedi, de 1832, mandada cunhar em cobre, em Pamplona, por Fernando III de Navarra, VII de Espanha.

Como também será, provavelmente, o caso desta onça (canelo) de prata de 666,6 milésimas, que circulou na colónia portuguesa de Moçambique. Tem um carimbo (roseta sobre a data - imagem da esquerda), mandado apor em 1851 sobre a moeda cunhada em 1843.

Já esta bela barra de prata, cunhada entre 1820 e 1841, no Vietname-Annam, de prata, com o valor de 4 tien,  penso que corresponde muito mais a uma tradição regional do que a questões técnicas. Foram cunhadas muitas moedas deste tipo, ao mesmo tempo que eram cunhadas moedas circulares.

Nos nossos tempos, a cunhagem de moedas não circulares é geralmente motivada pela preocupação em facilitar a diferenciação das várias denominações, mesmo pelo tacto, ou, simplesmente, para chamar a atenção para o país.

É, provavelmente, o caso da moeda seguinte, de Tonga, país que se tornou conhecido entre os coleccionadores (pelo menos) por fabricar selos postais (etiquetas adesivas) com o formato do mapa da ilha!

Naturalmente, esta moeda, de 1 pa'anga, cunhada em cupro-níquel em 1978,  não precisaria da sua forma invulgar para chamar a atenção, tendo em conta que o soberano representado é o rei Taufa'ahau, famoso por figurar no Guiness como o monarca mais pesado do mundo. Com 1,90 m de altura, foi pesado em Setembro de 1976 na única balança apropriada do país, a do aeroporto, que registou 209,5 kg!

Mesmo com o tradicional formato circular, é possível encontrar produções verdadeiramente bizarras! Que dizer, de facto, das moedas australianas cunhadas numa "malha" de 100 mm de diâmetro com 1 kg de prata?!

Não! Não tenho nenhuma! Assim como não compro livros ao metro, também não compro moedas ao quilo!

Acho muito mais interessante esta moedinha de 9 mm de diâmetro, por exemplo. É um "mas" de ouro, mandada cunhar pelo sultão Ahmad Malik Az-Zahir (1346-83), de Pasai-Samatra.

O uso de moedas não circulares, particularmente poligonais, está muito divulgado, embora em muitos países, como Portugal, nunca tenham sido utilizadas.

Não resisto a mostrar aqui, em imagem ampliada, a minha preferida: a moeda de 20 pence, do Reino Unido, de cupro-níquel. O exemplar aqui reproduzido foi cunhado em 1993 e tem acabamento proof.

A variedade de formas poligonais é, realmente, muito grande:

Triângulo

Quadrado

Losango quadrado

Hexágono

Hexágono

Ilhas Cook

Sri Lanka

Myanmar

Congo Belga

Índia

Ilhas Cook, 2 dólares, 1988, Cu Ni; Sri Lanka, 10 rupias,1987, Cu Ni; Birmânia (Myanmar), 10 pyas, 1966, Al; Congo Belga, 2 francs, 1943, latão; Índia, 3 paise, 1974, Al proof.

Heptágono

Octógono

Eneágono

Decágono

Madagáscar

R. D. P. Iémen

Tailândia

Madagáscar

Madagáscar, 10 ariary, 1992, aço inox; Rep. Dem. Pop. Iémen, 100 fils, 1981, CuNi; Tailândia, 5 baht, 1972, CuNi; Madagáscar, 20 ariary, 1992, aço inox.

Hendecágono

Dodecágono

Dodecágono

13 lados

Rep. Checa

Macau

Macau

Rep. Checa

Rep. Checa, 2 korun, 1993, aço rev. Ni; Macau, 5 patacas, 1992, Cu Ni; Macau, 20 avos, 1993, latão; Rep. Checa, 20 korun, 1993, aço latonado.

Outra forma muito difundida é a utilização de um bordo ondulado, exibindo diferentes números de lobos.  Destaco, entretanto, duas variantes: a moeda mexicana de 50 centavos, cujos lobos são tão pouco salientes que mais parece uma moeda poligonal de vértices arredondados; e a moeda espanhola de 50 pesetas, cujo bordo tem 7 entalhes ou, se preferirmos, 7 lobos muito achatados.

8 lobos

8 lobos

10 lobos

12 lobos

Suazilândia

Bangladesh

Tanzânia

Butão

Suazilândia, 10 cents, 1979, Cu Ni proof; Bangladesh, 10 poisha, 1979, Al; Tanzânia, 10 senti, 1984, Ni-latão; Butão, 10 chetrums, 1974, Al.

12 lobos

16 lobos

7 entalhes

12 lobos pequenos

Hong Kong

Ruanda

Espanha

México

Hong Kong, 2 dólares, 1993, CuNi; Ruanda, 2 francs, 1970, Al; Espanha, 50 pesetas, 1990, CuNi, bordo com 7 entalhes; México, 50 centavos, 1992, Al-bronze, 12 lobos pouco salientes.

Finalmente, a última forma que destacarei, aliás, a mais tradicional e comum para além da circular simples, é a moeda com furo. Muito comum, ainda que muitos países nunca a tenham utilizado, como é o caso de Portugal. Também, se nos lembrarmos da expressão popular "Não vale meio tostão furado!", é de recear que não fosse uma forma muito bem aceite!

Há moedas com furos maiores e menores, mas o caso da moeda indiana, a seguir figurada, é realmente notável. O furo é tão grande, que a moeda mais parece uma anilha!

Furo pequeno

Furo médio

Furo grande

"Anilha"

Grécia

Dinamarca

Papuásia-Nova Guiné

Índia

Grécia, 20 lepta, 1969, Al; Dinamarca, 5 coroas, 1990, Cu Ni; Papuásia-Nova Guiné, 1 kina, Cu Ni; Índia, 1 pice, 1943, bronze.

 

Todas as imagens desta secção reproduzem moedas minhas e foram digitalizadas directamente (i.e., simplesmente pousadas sobre a janela do scanner) por mim. Todos os direitos de utilização destas imagens estão reservados.

Ó 2002-2004 Franclim Ferreira.

Voltar ao índice da secção Numismática

Entrada | Currículo | Ensino | I&D | Gostos | Ligações

Voltar ao topo