Numismatics

 

I started collecting coins in 1979 when, coming back from a stay in Romania, I brought about 200 different coins of several countries. Initially, I defined for my collection the goal of getting at least a coin of each country with own coinage. Reached this goal, a few years later, I have directed my collection for the purpose of gathering coins that by their beauty, historical significance or originality, touched me in a particular way.

Today, I am proud of owning a set of coins able to impress even those that do not feel any interest for collecting such things. It is some of these objects I intend to show in this section of my web page.

When we hear about coins, we are compelled to think in the pieces of metal we use daily to pay the newspaper, the espresso and ... little more, nowadays! But, it has not been always like that!

Origins

From the point of view of western civilization, the coin, as (or almost) we know it, was invented in seventh century BC, in Lydia, a territory of western Asia Minor, today belonging to Turkey but in that time under Greek influence. The earliest "coins" were made of electrum, an alloy of gold and silver, which occurs naturally in the region.

O seu aspecto pouco difere da moeda ao lado representada, da mesma Lídia, mas do séc. VI a. C.. Trata-se de 1/2 stater de prata, do reinado de Creso (560 - 547 a. C.), rei famoso pela sua riqueza e que deu origem à expressão "rico como Creso". No anverso, apresenta uma cabeça de leão em frente de uma cabeça de touro e, no reverso, marcas de punção.

No Oriente, praticamente em todo o Indo-Pacífico, durante milénios, houve um objecto natural usado como moeda: uma concha da família das cipreias (CYPRAEIDAE), apropriadamente designada por Cypraea moneta.

O seu uso estendeu-se posteriormente (já no segundo milénio a. C. tinha essa utilização) por toda a Ásia meridional, a África e mesmo a América. Cristovão Colombo, acreditando que teria de negociar com indianos, levou essa moeda que sabia que era de uso corrente nas Índias.

Mesmo na nossa era, a sua utilização sobreviveu no Senegal, Nigéria e Congo, ainda que fortemente contrariada pelos governos. Contudo, antes da II Guerra Mundial, ainda era possível comprar por 50 000 conchas uma bela jovem esposa-escrava no mercado de Zanzibar!

Por volta de 600 a. C., ferramentas de bronze, tais como enxadas e facas, eram usadas na China, como moeda. A normalização deste tipo de dinheiro, sob a forma de peças estilizadas de tamanho reduzido, de bronze, correspondeu a uma invenção independente da moeda metálica.

Não só as formas eram diferentes, como também o processo de fabrico. Enquanto as moedas de Lídia e as emissões europeias a partir delas desenvolvidas eram batidas com cunhos, as moedas chinesas eram fundidas em moldes.

 

Em meados do séc. III a, C., dependendo da região da China, eram usadas como moeda imitação de facas, de enxadas e de cipreias. Por volta da mesma data, começaram a ser utilizadas moedas redondas com um furo quadrado no meio.

O uso dos vários tipos estendeu-se por séculos. Assim, por exemplo, a minha faca é de um período entre 600 e 100 a. C., a enxada é do período Wang-Mang (7 - 23 d. C.) e a moeda redonda é um "cash" de 1736-95, de latão fundido, da província Hupeh, período imperial.

A utilização deste tipo de moedas estendeu-se aos países vizinhos e manteve-se durante séculos. Por exemplo, o "feijão" japonês bean gin, de prata .135, ao lado representado, parece uma moeda muito primitiva, mas data apenas de 1859-65, era Ansei.

Analogamente, esta moeda de cobre fundido de 100 Mon (Tempo Tshuho), também do Japão, é apenas de 1835-70.

Em todo o caso, mais cedo ou mais tarde, dependendo da região do planeta, a técnica de cunhar moedas usando rodelas metálicas entre dois cunhos, acabou por se impor.

O que não impede que, por razões comerciais e, sobretudo, para cativar os coleccionadores, as casas da moeda não façam excepções, como é o caso desta moeda de Andorra, de 1984, com o valor facial de 1 diner (igual a 100 pesetas, de 1983 a 85, e 125 pesetas depois de 1986). O Standard Catalog of World Coins, editado pelas Krause Publications, refere que se trata de uma moeda fundida numa liga de cobre e zinco (note-se que o latão é justamente uma liga desses dois metais!).

 

Gostou? Veja o que tenho mais para lhe mostrar nesta secção:

Index of the section Numismatics:

Shapes

Pensava que todas as moedas eram redondas? Claro que não! Mas, sabia que existem moedas poligonais, de bordo ondulado, furadas, etc.? E sabia que as moedas poligonais podem ter desde 3 até 13 lados!? Dê uma espreitadela.

Metals

Claro que sabe que há moedas de ouro, prata e cobre, ou bronze. Mas, sabe que também há moedas de zinco, estanho e até de ferro? E também de platina? E o paládio, sabe o que é? Faz ideia da quantidade de ligas diferentes que se usam para fazer moedas? Veja o que tenho sobre o assunto.

History pictured with coins

Imagine figuras históricas como Alexandre da Macedónia, Júlio César, Marco António, Carlos Magno, Genghis-Khan, Henrique VIII, Napoleão e tantos outros. Veja as moedas que se usavam nos seus tempos!

Innovations

Sabe o que é acabamento proof? E sabe que há moedas coloridas e até com hologramas? E uma moeda preta, já viu? Não! Não é uma moeda de cobre já muito usada! Mesmo preta! Conhece as moedas bimetálicas (usa-as todos os dias). Mas, conhece as trimetálicas?

Oddities

Já viu ou ouviu falar de moedas carimbadas? E moedas feitas com um selo de correio colado em cartolina? E moedas uniface? Veja algumas curiosidades que consegui reunir e que aqui lhe mostro.

 

All the pictures in this section reproduce coins of my own and have been directly scanned (i.e., simply put over the scanner window) by me. All the rights of using these pictures are reserved.

Ó 2002-2004 Franclim Ferreira.

Entry | C. Vitae | Teaching | R&D | Passions | Links

Back to the top