Organização do Estaleiro

Da wiki WIQI GEQUALTEC
Revisão em 15h30min de 24 de outubro de 2012 por João Araújo (discussão | contribs) (ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO)
Ir para: navegação, pesquisa

Esta página foi desenvolvida no âmbito de uma tese do MIEC-FEUP em colaboração com a empresa MSF Engenharia e faz parte da MSF WIKI


RESUMO

A Organização do Estaleiro de Obra é um processo importante que, realizado de forma adequada, permite a redução de prazos e custos das obras, o qual é um dos objectivos prioritários por parte dos profissionais de engenharia civil. No corpo deste artigo estão contidas informações sobre as principais decisões e actividades a executar para que o referido processo tenha um desenvolvimento eficiente, tais como alguns critérios para a escolha do local do estaleiro e algumas metodologias que podem ser seguidas para a montagem do mesmo.

ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO

Na procura da optimização da disposição dos meios e instalações que integram o estaleiro de obra, o responsável por essa tarefa socorre-se habitualmente de um conjunto de critérios gerais que o auxiliam no concretizar de tal objectivo. Mencionam-se de seguida alguns desses critérios: - A minimização das distâncias a percorrer em obra, pelas pessoas, materiais e máquinas; - A minimização do número de operações de carga, descarga e transporte dentro de obra; - A garantia da realização dos percursos referidos anteriormente em boas condições; - A minimização do número de montagens e desmontagens implícitas aos ajustes que acompanham as várias fases de execução da obra; - A flexibilidade dos espaços de trabalho que permita a alteração em face do faseamento da obra; - O isolamento das áreas sociais do estaleiro, tendo em consideração motivos de conforto e segurança; - O posicionamento das áreas de controlo e estacionamento junto às entradas para a obra; - O posicionamento das oficinas de produção em zonas recatadas e das saídas das oficinas debaixo da acção dos equipamentos elevatórios ou num limite próximo do seu raio de acção; - A segurança dos trabalhadores e restantes utilizadores do estaleiro. Para melhor conciliar todas as condicionantes mencionadas e respeitar os critérios acima referidos, existe um conjunto de metodologias que podem ser seguidas, as quais são resumidamente definidas pelas seguintes etapas sequenciais: - A selecção de serviços, infra-estruturas e meios a instalar; - A atribuição de áreas e tipo de construção (barraco, coberto, coberto com estrado, armazém, máquina, armazém ao ar livre) e forma geométrica da mesma; - A implantação física à escala das áreas definidas no passo anterior sobre planta de implantação da obra a edificar.[1]

Para isso, procede-se, em primeiro lugar, à análise de vários elementos, tais como o Projecto de Execução, o Caderno de Encargos, entre outros, os quais contêm informações relevantes sobre as necessidades da obra no que respeita a mão-de-obra, materiais, trabalhos e equipamentos. Esta análise assume-se como preponderante na escolha dos serviços, infra-estruturas e meios aos quais será necessário recorrer para a execução da obra.

Deve ser efectuado também o devido reconhecimento da zona onde o empreendimento terá lugar para conhecer as hipóteses viáveis para a localização do estaleiro.


ESCOLHA DO LOCAL DE ESTALEIRO

A escolha do local do estaleiro deve atender aos seguintes aspectos na referida ordem:


1. Verificar compatibilidade com RECAPE (se existir);

2. Zonas já exploradas anteriormente;

3. Compatibilidade com o mapa de condicionantes: REN, RAN, … (se não existir, pedir nas Câmaras);

4. Proximidade com a obra – deverá ser o mais próximo e central possível;

5. Bons acessos rodoviários;

6. Facilidade de fornecimento de energia eléctrica, água, saneamento, telefone e internet;

7. Menor custo global do estaleiro

Deve optar-se por um local que minimize o custo global do estaleiro, o qual compreende não só o custo das instalações, meios de apoio e equipamentos e respectiva montagem, mas também os custos referentes a algumas actividades básicas do quotidiano dos trabalhadores, tais como as refeições e as dormidas (no caso de estas serem suportadas pela empresa)

8. Evitar zonas inundáveis ou com más fundações (devido à eventual instalação de centrais de betão/betuminosos);

9. Zonas com pouco relevo para minimizar trabalhos de movimentação de terras

É aconselhável a escolha de uma zona com um relevo pouco acidentado, tendo em vista a minimização dos trabalhos de terraplenagens.

10. Máximo afastamento de habitações

O estaleiro deve localizar-se o mais afastado possível das habitações dos residentes nos arredores da obra, minimizando eventuais situações incómodas decorrentes de questões como o ruído, a poluição…

11. Perímetro de forma regular, com poucos recortes

12. Menor número de proprietários possível

Deve escolher-se um terreno que tenha o mínimo de proprietários possível, reduzindo desta forma o número de autorizações para a utilização das áreas do terreno necessárias e consequentemente o estabelecimento de contratos de arrendamento. Quanto menor for o número de proprietários, menor o número de contratos a estabelecer.

PLANEAMENTO E MONTAGEM DO ESTALEIRO

Tendo por base diversas condicionantes referentes à implantação de qualquer estaleiro de obra, assim como os referidos no ponto referente à escolha do local do estaleiro e as características específicas da obra em causa no que se refere ao tipo e dimensão da mesma, os responsáveis pela Direcção de Obra definem quais as instalações fixas, os meios de apoio e equipamentos necessários à sua execução e efectuam dessa forma o planeamento do estaleiro de obra.

O planeamento do estaleiro de obra deve incluir os seguintes elementos:


  • O plano de estaleiro, que integra as diversas plantas onde se representam as instalações e redes, e as memórias descritivas respectivas
  • Os planos de montagem e desmontagem de equipamentos e respectivos licenciamentos ou autorizações;
  • Os planos de mobilização e desmobilização de equipamentos e instalações.


Associados a este planeamento estão também a escolha e negociação dos terrenos para estaleiro a utilizar. São, para isso, acordadas condições com os proprietários dos terrenos ou com os seus representantes, estabelecendo contratos para a sua utilização. Após a conclusão do planeamento do estaleiro de obra, passa-se à montagem das infra-estruturas e instalações do mesmo, a qual pode ser feita mediante três opções:


1) GLOBAL - Lança-se concurso para a execução deste trabalho, adjudicando o mesmo a uma empresa que realizará a montagem do estaleiro conforme estabelecido no respectivo projecto.

2) PARCIAL – Dispondo do material e da mão-de-obra necessários ou adquirindo o material e contratando a mão-de-obra, a empresa poderá optar por efectuar a montagem do estaleiro sem o recurso a terceiros.

3) MISTA – Pode ainda a empresa escolher esta terceira hipótese, segundo a qual alguns trabalhos da montagem do estaleiro são subcontratados enquanto outros são realizados por trabalhadores da empresa.

ANEXOS

LIGAÇÕES DE INTERESSE

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

<references>

  1. Amorim Faria, José - Apontamentos da disciplina de Gestão de Obras e Segurança do Mestrado Integrado em Engenharia Civil. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, 2010