Curador Digital

Denominação Principal: Curador Digital (ER-ID 2005: Curador Digital)

Outras denominações:

1. Gestor de Informação

2. Arquivista

3. Bibliotecário

4. Gestor de Conteúdos

5. Gestor de dados

 


Missão:

1. Selecionar, preservar e manter coleções e arquivos de ativos ou dados digitais.

 


Locais de ação ou Entidades empregadoras: entidades públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos.

 

Funções específicas ou âmbito de atuação: gerir o processo de criação e desenvolvimento de repositório de dados para consultas posteriores realizadas por investigadores, cientistas, historiadores, profissionais da área, etc... como forma de potenciar as empresas no que concerne à melhoria da qualidade de informação e dados quer nos seus processos operacionais quer estratégicos.

 


Competências e Nível de Qualificação:


Euro-Referencial Profissional de Informação, 2005:

 - Curador Digital Nível 3 (Licenciatura)

 

Competências:

1. Grupo I - Informação;

2. Grupo T - Tecnologias;

3. Grupo C - Comunicação;

4. Grupo M - Gestão

5. Grupo S - Outros Saberes

 


Categoria Profissional (Público e Privado):


1. Técnico Superior ou equivalente

2. Quadro Superior ou equivalente

 


Postos de Trabalho ou Designação da Função:

1. Gestor de Informação

2. Gestor de Conteúdos

3. Gestor de Dados

4. Arquivista

5. Bibliotecário

 


Funções ou conteúdo funcional:

1. Recolha de informação digital;

2. Fornecimento de busca e recuperação de informação digital;

3. Certificação de confiabilidade e integridade do conteúdo;

4. Continuidade e comparabilidade semântica e ontológica do conteúdo;
5. Conceitualização: conceção e planeamento de criação de conteúdo, incluindo a definição de métodos de captura e armazenamento;

6. Criação: produção de conteúdo e atribuir característica administrativa, descritiva, estrutural e técnica aos dados.

7. Garantir acesso e uso: garantia de fácil acesso à conteúdos públicos e privados pelos usuários;

8. Avaliação e seleção: avaliação e seleção de conteúdos digitais que requerem preservação atendendo normas, processos e requisitos necessários para o procedimento.

9. Disposição: se desfazer de conteúdo não selecionados para preservação, atendendo normas estabelecidas.

10. Fazer Backup’s: transferir conteúdo digital para um arquivo confiável e realizar o backup, atendendo normas estabelecidas.

11. Preservação: ações que garantem a preservação e identificação do conteúdo;

12. Reavaliação: avaliação e seleção adicional para conteúdo já avaliado;

13. Armazenamento: manutenção dos dados de forma segura dentro dos padrões pré-definidos;

14. Transformação: criação de novo conteúdo a partir do original.

 


Funções associadas ou conteúdo funcional associado:

O curador tem o papel de administrar o fluxo de conteúdo digital, redes sociais ou outros sistemas de informação que organizam os dados de acordo com o perfil dos seus usuários, dessa forma passa a exercer o controlo sobre a informação a que o usuário pode aceder apresentando apenas um tipo específico de conteúdo. Nesse sentido, o consumidor passa a ter uma postura passiva em vez de ativa (passa de presumidor a consumidor)

 


As competências devem atingir:
- o nível 3 dos 8 (dentre os 12) domínios do Grupo I
- o nível 3 dos 13 domínios (dentre os 20) dos grupos T, C e M

 

Competências Profissionais:
Grupo I – Informação:

I 01 – Relações com os utilizadores e Clientes
I 02 – Compreensão do meio profissional
I 03 – Aplicação do direito de informação
I 04 – Gestão dos conteúdos e conhecimentos
I 05 – Identificação e validação das fontes de informação
I 06 – Análise e representação da informação
I 07 – Pesquisa de Informação
I 08 – Gestão das coleções e fundos
I 09 – Enriquecimento das coleções e fundos
I 12 – Conceção de produtos e serviços

Grupo T – Tecnologias

T 01 – Conceção informática de sistemas de informação
T 02 – Desenvolvimento informático de aplicações
T 03 – Publicação e edição
T 04 – Tecnologias da Internet
T 05 – Tecnologias da informação e comunicação

Grupo C – Comunicação

C 02 – Comunicação escrita
C 03 – Comunicação audiovisual
C 04 – Comunicação pela informática
C 04 – Prática de uma língua estrangeira
C 06 – Comunicação interpessoal
C 07 – Comunicação institucional

Grupo M – Gestão (Management)

M 01 – Gestão Global da Informação
M 06 – Diagnóstico e avaliação

 

Aptidões Pessoais:
Relacionamento:

1 – Autonomia
2 – (Capacidade de) Comunicação
5 – (Espírito de) Equipa

B – Pesquisa:

1 – Espírito de Curiosidade

C – Análise:

1 – (Espírito de) Análise
2 – (Espírito) Crítico
3 – (Espírito de) Síntese

D – Comunicação:

2 – Capacidade de resposta

E – Gestão:

2 – Rigor

F – Organização:

2 – (Sentido de) Antecipação
3 – (Espírito de) Decisão
4 – (Espírito de) Iniciativa
5 – (Sentido de) Organização

 


As referências bibliográficas que serviram de apoio à realização desta ficha foram:

•    Amante, M. J., Ochôa, P., Pinto, L. G., Inácio, A., & Castelo, C. (2006). A Imagem das Competências dos Profissionais de Informação-Documentação (p. 219). Lisboa. Retrieved from http://apdis.pt/download/REL ID 2006.pdf   Acesso em 15 de Abril de 2013

•    Artigas, C. M. T., & González, B. M. (2013). Perfiles profisionales del Sistema Bibliotecario Español: fichas de caracterización (p. 54). Retrieved from http://travesia.mcu.es/portalnb/jspui/bitstream/10421/6841/1/perfilesprofesionalesSBE.pdf   Acesso em 13 de Abril de 2013

Bettiol, E. M. (1976). Necessidades de informação : uma revisão, 18(4), 59–69. Retrieved from http://bogliolo.eci.ufmg.br/downloads/BETTIOL.pdf
Acesso 09 de maio de 2013

•   Conselho Europeu das Associações de Informação e Documentação [ECIA]. (2005). Euro-Referencial I-D Vol. I: Competências e aptidões dos profissionais europeus de I-D Vol. II: Níveis de qualificação dos profissionais europeus de I-D. (INCITE – Associação Portuguesa para a Gestão da Informação, Ed.) (Vol. I, p. 142). Lisboa. Retrieved from http://www.eseig.ipp.pt/eseig/documentos/doc_noticias/EuroReferencial_P.pdf   Acesso 15 de abril de 2013


•    http://alistapart.com/article/content-strategist-as-digital-curator

•   Sales, L. F., & Sayão, L. F. (2012). O impacto da curadoria digital dos dados de pesquisa na Comunicação Científica. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, 17, 118–135. doi:10.5007/1518-2924.2012v17nesp2p118